Nós temos um sonho

Mudar o sistema
de educação em Portugal

 

As crianças são a nossa maior paixão!
Desejamos que os nossos filhos tenham um futuro muito mais leve do que o nosso, sem o peso de uma educação que deixou fortes (e não muito positivas) marcas em ambos.
Para isso decidimos começar a trabalhar com os Pais, que têm uma maior influência sobre elas. Que são a base para aquilo que elas virão a acreditar sobre si mesmas, para que possam crescer com uma base dose de auto estima e auto confiança.
E depois queremos passar para as escolas, mostrar aos professores que há formas diferentes de lidar com as crianças que as faz empenhar mais nos estudos e ter muito melhor comportamento e aproveitamento.
Há quem nos considere loucos, mas nós acreditamos que são os “loucos” que mudam o mundo, por isso não nos ofendemos.

Evandro Cabral

Eu sou o Evandro, tenho 48 anos, pai de 5 filhos maravilhosos, ou melhor, 4 filhas e um rapaz. 
Músico profissional (saxofonista), art’educador e Coach educacional. 
Descobri a minha paixão pela música logo aos oito anos, altura em que recebi uma flauta de prenda.  

 

A educação foi uma grande dor, mas uma dor que acabou por se tornar uma grande paixão. Uma dor porque a escola não foi capaz de dar as respostas que eu precisava, uma vez que tinha dúvidas, medos, e o facto de ser tímido e introvertido limitava-me muito e a atenção dos professores era canalizada, em primeiro lugar, para as crianças que tinham mais dificuldades.
Também senti uma falta de apoio e orientação no que se refere à escolha profissional. E aqui a escola e a minha família estavam num alinhamento prefeito, defendendo que eu deveria ir para a universidade tirar um curso que me permitisse ter um emprego estável e bem remunerado. Nesse sentido, ser músico estava completamente fora da equação!
A música esteve sempre presente, mas por o medo e insegurança, perdia o foco constantemente à procura de trabalhos que me dessem alguma estabilidade, o que se acentuou com a chegada da minha primeira filha, a Jéssica.
Mas nunca abandonei por completo os concertos e os estudos e foi aqui que descobri a paixão pela educação.
Assim que saí do conservatório de música fui dar aulas num colégio particular que tinha uma maneira diferenciada de ensinar e de tratar as crianças. Foi nessa altura que comecei a querer aprofundar outras maneiras de ensinar. Estudei, pesquisei e percebi que tinha em mãos algo muito poderoso, a música, que me permitia chegar a todo lado e passei a usá-la como ferramenta de desenvolvimentos pessoal.
O meu propósito é contribuir para a mudança de paradigma na educação. Embora tenha resultados extraordinários com crianças e jovens de diversas realidades, percebi que poderia ter resultados mais efetivos, mais amplos e permanentes se partilhasse as minhas práticas e conceitos com pais e professores, pois são quem está com as crianças a maior parte do tempo. Contínuo a “beber” de várias fontes e correntes pedagógicas, Paulo Freire, Rubén Alves, Maria Montessori, Augusto Cury, José Pacheco, entre outros. Recentemente juntei ao conhecimento e à experiência de mais de 20 anos na educação uma Certificação Internacional em Educação Positiva e outra de Coaching e Desenvolvimento Humano, cujas ferramentas elevaram as minhas intervenções em todas as áreas onde atuo para um nível muito superior.

Sandra Caracol

Eu sou a Sandra, tenho 40 anos, 2 filhos com 14 e 25 anos, formação base na área das Artes e uma longa história de decisões tomados com base na minha total falta de autoestima e de autoconfiança.
Como, por exemplo, ir trabalhar para um banco aos 23 anos de idade, quando procurava unicamente um ordenado ao fim do mês porque não acreditava ter qualquer mérito para escolher diferente.

Um trabalho que em nada me fazia sentir realizada e em muito aumentava o meu conhecido “mau feitio”. E eram muitas as vezes em que chegava a casa emocionalmente esgotada, com dores de cabeça, frustrada e sem paciência para os meus filhos.
Com o mais velho, uma criança tranquila, muito independente e responsável desde cedo, tal não constituiu grande desafio, mas o mesmo não aconteceu com a minha filha que desde muito cedo exigia de mim muito mais energia do que a que eu tinha para lhe dar.
O separar-me do seu pai quando ela tinha apenas 4 anos, complicou o que já não era fácil porque deixou de haver 2 adultos em casa para repartir a responsabilidade. O que me levou a sentir que precisava de fazer algo que me ajudasse a ser a mãe que ela tanto precisava e merecia.
Assim se deu a minha entrada no mundo do desenvolvimento pessoal e, resumindo uma longa história, foi ali que, aos poucos, fui encontrando a verdadeira Sandra. Trabalhei as bases da minha baixa autoestima e autoconfiança, aprendi a reconhecer os meus pontos fortes e a aceitar os fracos, descobri o que me motivava e assim cheguei ao Coaching, que me ajudou mais do que qualquer outra coisa antes.
E por essa razão acabei por me tornar Coach Emocional, o que me deu ferramentas para ajudar outras mulheres a fazerem o percurso que eu mesma fiz, quando me libertei das mágoas do meu passado que me impediam de ser a melhor mãe possível, mas de uma forma mais estruturada e mais rápida.
Depois disso comecei a sentir uma grande necessidade de mudar a maneira de lidar com a minha filha que, com o seu forte temperamento e constante questionamento, parecia resistir aos castigos, ameaças e perdas de paciência, a forma de educar que eu tinha aprendido. Os temidos anos da adolescência aproximavam-se rapidamente e eu queria criar uma maior conexão com ela.
Mas… o que podia fazer de diferente?
E foi o Evandro que me começou a mostrar uma outra realidade – a Educação Positiva da qual eu já tinha ouvido falar, mas que sempre tinha resistido porque, desconhecendo o que de facto se tratava, acreditava tornar os pais demasiados permissivos e as crianças aquilo a que eu chamava de “mal-educadas” por falta de regras.
Aos poucos foi reconhecendo a força dos seus argumentos e comecei a libertar-me da minha necessidade de controlar a minha filha, permitindo-me criar uma ligação com ela baseada no respeito mútuo, dando-lhe espaço para tomar decisões erradas e assumir as respetivas consequências e hoje somos mais próximas que nunca.
Hoje conto também eu já com diferentes formações internacionais dentro do tema da Educação Consciente. E é toda esta aprendizagem e experiência que quero partilhar contigo neste projeto que saiu do fundo dos nossos corações.

Entrevista Super Pais na Rádio Observador

"Os nossos filhos dizem-nos todos os dias quem são, mas nós não os ouvimos porque estamos muito ocupados a dizer-lhes quem deveriam ser."
Iain S. Thomas

© COPYRIGHT 2021 SUPER PAIS - ALL RIGHTS RESERVED